Como cultivar planta carnívora

3 Comentários

      As plantas carnívoras tem ganhado cada vez mais espaço e sido reconhecidas por sua beleza exótica. E embora tenham o nome agressivo, estão muito longe de trazerem qualquer tipo de malefício a quem as têm. Pelo ao contrário.

      Um dos principais fatores para cultivar plantas carnívoras em casa é procurar recriar, com a máxima fidelidade, seu habitat natural – que nunca é o solo comum, rico em nutrientes. A opção correta é o esfagno, um tipo de musgo que consegue reter água, mesclado a materiais inertes que deem volume, como areia. É importante lembrar que, durante sua evolução, as plantas carnívoras adquiriram a habilidade de capturar pequenos animais graças à pobreza nutricional do solo.

     O ideal é deixar que as plantas capturem sozinhas seus alimentos. Para isso, deixe-as próximas a uma janela ao menos em parte do dia para que ela atraia os insetos. Se perceber que a planta está com dificuldade para realizar essa tarefa, você pode introduzir insetos vivos, ou mortos de forma natural (elas não se alimentam de animais mortos por inseticidas).

       As espécies de plantas carnívoras cultivadas em casa precisam de bastante de água e devem ser regadas todos os dias. Verifique regularmente a umidade do musgo, pois é dele que a planta irá sugar boa parte da água para sua manutenção.

      Não estimule a movimentação das armadilhas (abrir a boca da planta) sem motivo. Algumas plantas podem morrer se o mecanismo for constantemente disparado sem nenhum alimento dentro. Isso ocorre porque cada vez que elas abrem a boca, muita energia é utilizada. Sendo assim, ao abrirem para se alimentar, a energia gasta será reposta pelo alimento. Sem algum tipo de alimento, é apenas energia desperdiçada, o que provavelmente as levará a morte.

      Para se fortalecerem, as plantas carnívoras devem tomar sol durante o dia todo, sempre de forma indireta, pois a exposição direta pode matá-las. Enquanto não atingirem completamente a maturidade, exponha gradativamente à luz solar para que se acostumem.

     Muitas plantas, após crescerem o ano todo, passam por um período de descanso a que chamamos de dormência. Geralmente, essa época é o inverno, embora algumas espécies “descansem” no verão.

      Nesse período as regas devem ser diminuídas para evitar apodrecimento das raízes (e consequente morte da planta toda).
Embora certas espécies não necessitem de um “descanso” anual, para outras tal é indispensável. Após esse período, as plantas voltam a crescer com vigor redobrado. Uma boa indicação de que elas “descansaram” bem é o florescimento vigoroso (geralmente na primavera ou verão).

      O replantio é necessário quando a planta torna-se grande demais para o vaso em que está plantada (isto é, as raízes estão sendo danificadas) e quando o substrato começa a se decompor (principalmente o musgo).

      Ao replantar, tome cuidado para não danificar as raízes, posto que algumas carnívoras possuem raízes muito frágeis.
Para muitas, a melhor época para o replantio é o início da primavera, pois as plantas estão voltando a crescer ativamente, e têm energia para se recuperarem de eventuais choques que o replantio possa causar-lhes.

     Boa diversão e bom cultivo! 😉

3 respostas para "Como cultivar planta carnívora"

  • Você é ateu? É porque vc escreveu “durante sua evolução”.
    Se vc crer e confessar ao senhor Jesus, e crer que Deus o ressucitou será salvo(cf. Rm 10:9) mas lembre-se que a morte de Jesus foi para que pudessemos ser perdoados e abandonassemos a nossa vida de pecados. Veja o que está escrito a respeito de Jesus: “Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” -joao 3:18

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *