Tudo o que você precisa saber sobre cultivo indoor

7 Comentários

     Muito fala-se no cultivo indoor, ainda assim muitas pessoas não fazem ideia do que se trata. O cultivo indoor é um método de cultivo viável e que pode ser praticado por qualquer pessoa, inclusive as que não dominam os conhecimentos necessários para o desenvolvimento de plantas de qualidade.

     Trata-se do cultivo em ambiente fechado, onde luzes artificiais e temperatura criam o ambiente ideal para o desenvolvimento das plantas. O exemplo mais comum são as estufas.

     O primeiro passo para as pessoas que resolvem apostar no cultivo indoor é analisar bem se o espaço físico que foi escolhido para receber a estufa é realmente o mais apropriado. O tamanho da área é importante e por tal motivo muitas pessoas acabam optando por estufas menores pois as mesmas ocupam menos espaço.

     Porém, caso futuramente você resolva aumentar o cultivo, o que fazer? O mais indicado é trocar a estufa por uma maior, mas você pode também colocar outra com as mesmas dimensões. Isso dependerá também das condições gerais do ambiente em que estão dispostas, como por exemplo a localização de tomadas de energia elétrica.

     Uma vantagem muito interessante na escolha de estufas prontas é que futuramente você poderá utilizar uma para a fase de crescimento e desenvolvimento e a outra apenas para a floração. Ficará mais fácil controlar o fotoperíodo, fertilização, entre outras etapas do cultivo indoor, pois elas são diferentes para cada fase. Além do mais você terá colheitas em qualquer tempo. Ótimo, não?!

     É muito importante avaliar qual será o tamanho do cultivo para basear-se no número de vasos que irá usar (o que também depende do tamanho da estufa que será comprada). Quanto mais vasos, maior tempo de dedicação será necessário.

     A segurança é outro ponto muito importante e que deve ser avaliado antes de iniciar o cultivo indoor. Verifique-se que todas as medidas serão tomadas e analisadas de forma que sejam evitados problemas com a instalação do grow. Verifique atentamente as instalações elétricas e o isolamento luminoso. Assegure-se também que o local escolhido para o cultivo seja seguro contra intrusos.

     É necessário atentar-se em relação a todos esses pontos para que o processo de cultivo ocorra sem dificuldades e o foco fique apenas no acompanhamento das plantas, para que elas consigam crescer saudáveis e render uma colheita de ótima qualidade.

Foto Reprodução – RvOrchidworks

Iluminação

     Um dos principais pontos no cultivo indoor é sem dúvida alguma a iluminação, junto com a escolha de fertilizantes e claro, a necessária rotina de manutenção.

     A luz destaca-se como um fator importantíssimo para o desenvolvimento das plantas pois é a fonte de energia que faz a mágica de transformar os nutrientes em alimento, o que reflete no crescimento, na produção de flores e sementes e obviamente, no tamanho. Sendo assim, a escolha errada da iluminação pode prejudicar a planta e até mesmo interromper o seu desenvolvimento.

     Antes de iniciar o cultivo pesquisa informações necessárias para saber qual a iluminação mais adequada para o seu cultivo. Isso evitará gambiarras que possam colocar em risco toda a sua instalação elétrica.

     Os iniciantes no processo de cultivo indoor geralmente optam por um desses tipos de iluminação: LEDs, lâmpadas de vapor de alta pressão ou lâmpadas fluorescentes.

     Cada uma dessas opções possuem suas vantagens e desvantagens, o que acarreta dúvidas entre os cultivadores, principalmente iniciantes.

LEDs

     Os painéis de LED são eficientes, econômicos e rendem ótimas colheitas com baixo custo e esforço de instalação/manutenção. Mesmo que o resultado final dependa também de outros fatores como por exemplo o fertilizante utilizado, de forma geral os painéis mais modernos suprem perfeitamente as necessidades para uma colheita feliz e farta. Isso é resultado da eficiência que é feita a conversão da energia elétrica em luz e porque esses painéis não geram calor – algo que faz completa diferença no desenvolvimento das plantas e ainda economiza na instalação de possíveis equipamentos de climatização. Os painéis possuem um preço mais elevado, é fato, mas são mais indicados desde cultivos pequenos até grandes por conta da alta durabilidade e também pela economia na conta de energia elétrica. Além do que, a instalação é a mais simples possível: basta plugar na tomada.

Lâmpadas de vapor de alta pressão

     As lâmpadas de valor de alta pressão possuem vantagens e entre elas está a possibilidade de manutenção de várias plantas em um cultivo indoor. Se forem bem instaladas costumam gerar grandes colheitas (assim como o LED) e resultam num produto final de qualidade. Essas lâmpadas são indicadas para quem quer levar o cultivo indoor a sério, e não são indicadas para estufas de pequeno porte, pois exigem a instalação de equipamentos de exaustão devido ao grande calor que geram. Sem esse tipo de cuidado, é certo que as plantas queimarão. Recomenda-se a instalação por um profissional e dependem de reatores para funcionamento. Vale ressaltar também que esse tipo de lâmpada gera um aumento significativo na conta de energia.

Lâmpadas fluorescentes

     Se optar por um cultivo simples, entre uma a quatro plantas, com um rendimento básico, médio, barato e fácil de manter, as lâmpadas fluorescentes são as mais recomendadas. Elas são compatíveis com qualquer espaço, geram pouco calor e ainda não registram aumento na conta da energia. Para os iniciantes é uma ótima opção. No entanto vale informar que é muito difícil cultivar plantas maiores com o uso de lâmpadas fluorescentes.

Tempo e dedicação necessários no cultivo indoor

     A decisão de iniciar um cultivo indoor não acaba quando está tudo pronto, com as sementes nos vasos e iluminação funcionando. As plantas precisarão que o cultivador trace uma rotina definida para a manutenção. Esse tempo de dedicação é preciso.

     É recomendado aprofundar a leitura sobre técnicas para o cultivo indoor e então montar uma rotina. Inicie organizando um calendário em que anotará o tempo certo para o desenvolvimento das plantas. Já é possível prever a época de floração e de colheita. Nessa fase o cultivador deverá ficar mais atento para não perder o ponto ideal de corte das flores.

     Um dos cuidados principais na manutenção de um cultivo indoor é com a água. Não é recomendado colocar água a todo instante. As regas precisam ser feitas na dosagem certa afim de que a umidade em excesso do solo não atrapalhe em nada o desenvolvimento na zona de raízes das plantas, assim como ocorre quando a terra está seca. Use o truque do palito de picolé para saber. Introduza o palito até o fundo do vaso e avalie a umidade dele. Caso esteja muito úmido na ponta, não há necessidade de rega.

     Para ter sucesso no cultivo indoor é preciso se atentar a vários fatores, caso não o faça, existirão chances reais de colocar todo o trabalho a perder. Obviamente há como garantir uma colheita de qualidade hoje em dia por conta da praticidade que é montar um grow atualmente ou da facilidade de acesso a produtos que podem contribuir para o desenvolvimento das plantas, no entanto, existem algumas situações que apenas a rotina de manutenção adotada pelo cultivador poderá dar conta.

     Alguns dos problemas mais comuns que afetam o cultivo indoor são: calor, umidade e pragas. Estes problemas prejudicam o desenvolvimento das plantas e resultam numa colheita de baixa qualidade.

Calor

     Este é um dos problemas que mais podem prejudicar suas plantas em cultivo indoor. A temperatura limite dentro do grow é de até 32 ºC. Acima dessa temperatura, o dono deverá buscar alguma solução imediata, pois correrá o risco de perder boa parte dos seus cultivares. Para a grande maioria das espécies o recomendado é que a temperatura dentro da estufa varie entre 21 ºC e 27 ºC.

     A solução perfeita para evitar o calor excessivo está na instalação de sistemas de exaustão e ventilação. Uma solução prática, rápida e eficaz é um mini-ventilador. Ele ajudará a diminuir a temperatura porque há a renovação do ar no interior do cultivo. Isso é muito importante porque as plantas trocam gases e vapor d’água com o meio em que se encontram de forma contínua. Por isso o ar dentro do grow precisa ser sempre renovado.

     Esse problema com calor pode estar relacionado ao tipo de iluminação escolhido para o cultivo. Se estiver utilizando lâmpadas de vapor de alta pressãoé importantíssimo considerar a substituição por painéis LED. As lâmpadas de vapor são muito eficientes nas fases de floração e crescimento, mas por aquecerem muito aumentam a temperatura e por isso pedem um investimento ainda maior em ventilação. Substitua pelos painéis LED que como já citamos alí em cima praticamente não geram calor durante o funcionamento, fazendo bem para a planta e tornando o cultivo mais tranquilo.

Umidade

     A água sem dúvida alguma possui um papel super importante na rotina de manutenção do cultivo indoor. Quando na quantidade certa, faz bem à planta, associada aos demais ingredientes para um cultivo de qualidade (iluminação, ventilação, nutrientes). No entanto, ela também costuma ser a causa para um dos problemas que atingem com frequência a plantação indoor: o excesso de umidade.

     Os cultivadores costumam colocar água nas plantas sem observar com atenção dois importantes fatores. O primeiro é a quantidade de água (muitas vezes não obedecem uma quantidade correta). O segundo é saber se a planta realmente está precisando de água. Acontece muito de regas serem feitas sem que seja verificado se a terra realmente está seca ou úmida. O fato de a parte de cima do vaso apresentar uma terra seca, não significa que no fundo ela também esteja.

Pragas

     O problema com pragas é algo que pede mais do que uma simples solução. Esse tipo de problema exige um trabalho árduo de prevenção por parte do cultivador. É realmente muito difícil conseguir manter todas as possíveis pragas afastadas das plantas. Uma hora ou outra, o cultivo poderá ser atacado por fungos, bactérias ou insetos.

     Uma dica importante para enfrentar esse problema é observar frequentemente suas plantas em busca de possíveis pragas. Isso ajudará no impedimento de problemas graves que poderão ocorrer caso a planta seja atacada.

     O uso de substrato inerte ou processado em altas temperaturas é uma ótima dica (e básica) para enfrentar as pragas. Com esse tipo de cuidado é possível eliminar uma parte significativa de larvas, fungos e ovos.

     Deve-se manter também uma limpeza regular pois a mesma é uma importante aliada no combate às pragas. Os utensílios que são usados (pás, tesouras, regadores) deverão estar sempre limpos. Lavar as mãos antes do manuseio desses itens e esterilizar os equipamentos com álcool é uma ótima maneira de prevenção.

     Entrar no grow com pés ou sapatos sujos não é um bom hábito e por isso deve ser evitado. E por fim, a última dica para manter as pragas longes é controlar o calor e a temperatura.

Fertilização

     O uso de fertilizantes é um assunto que o cultivador indoor precisa saber e não pode deixar de se preocupar. A fertilização ajuda a trazer qualidade se somada aos cuidados que devemos ter durante o cultivo.

     É essencial estar informado a respeito dos fertilizantes.

     A aplicação de fertilizantes deverá ocorrer a partir da terceira ou quarta semana de vida da planta. Muitos cultivadores pensam que a aplicação de fertilizantes já pode ser realizada durante o plantio, no entanto não, pois antes disso a planta precisa de água e luz.

     É recomendado que a aplicação seja feita inicialmente em doses bem baixas afim de ir aumentando gradativamente até atingir a dose indicada no rótulo do fertilizante adquirido.

     Confira como e quando utilizar os fertilizantes de maneira correta.

Do processo de germinação até as três primeiras semanas de vida: água e luz;
A partir da terceira semana de vida: fertilizante que seja rico em Nitrogênio;
Suprir as demandas por outros nutrientes (Potássio-K, Fósforo-P, Boro, Cobre, Molibdênio, Ferro, Manganês, Magnésio, etc);
A partir da sexta semana de vida: fertilizante que seja rico em Potássio e Fósforo;
Durante toda a floração a necessidade de Nitrogênio diminui gradativamente ao contrário da necessidade de Potássio que aumenta, assim como a de Fósforo e microelementos.

     E vale informar que o excesso de Nitrogênio durante a fase de floração pode congelar o desenvolvimento das flores.

     Em nosso site você encontra uma estufa ideal para o cultivo indoor. O famoso Plantário. Ele é um revolucionário eletrodoméstico capaz de cultivar vegetais orgânicos e saborosos dentro de sua própria casa. A estufa é equipada com nove vasos especiais entre outros acessórios, como lâmpadas de LED de alto desempenho (que citamos lá em cima como ideais para esse tipo de cultivo, se lembram?) e ventiladores silenciosos para a renovação do ar.

     Uma característica importante e super eficiente da estufa Plantário é que o controle de iluminação, ventilação e irrigação é feita de forma automática. Você pode conhecer mais sobre o produto clicando aqui.

     E aí, diz pra gente: curtiu conhecer e saber mais sobre essa forma de cultivo?

7 respostas para "Tudo o que você precisa saber sobre cultivo indoor"

  • Eu gostaria de saber como cultivar cebolinha salsa coentro hortelã um pouco de cada já tentei mais não deu certo

  • Muito boa a matyeria, para cultivo saldavel livre de agrotoxico e aproveitamento de pouco espaço e tempo, alimentação fresca toda hora.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *