Por que as hortas domésticas estão retomando sua importância

Você parou para pensar nas vantagens de ter uma horta em casa?

Para muitas famílias, as hortas domésticas são tradição e certamente nunca perderam a importância. Para outras, entretanto, elas acabaram perdendo espaço a partir da evolução econômica da sociedade. A razão para isso passa pelos movimentos de migração para a área urbana, somada ao maior número de pessoas trabalhando fora de casa e à ampliação da oferta de alimentos industrializados, que acabaram se tornando uma opção tentadora para aqueles que dispõem de pouco tempo livre.

Mas, como a sociedade está em constante mudança e revendo conceitos, as hortas domésticas parecem estar retomando sua importância. A afirmação é possível na medida em que tem crescido a conscientização da população sobre os benefícios de se ter um espaço destinado ao cultivo de plantas em casa. Por isso, perguntamos: você já parou para refletir sobre sua rotina e alimentação? Não? Então, nós vamos mostrar a você porque ter uma horta doméstica pode ser uma boa ideia.

As hortas como fonte de qualidade de vida

Horta em casa é garantia de procedência

Além de facilitarem o acesso da população a alimentos, as hortas domésticas confirmam sua importância na medida em que apontam na direção do desejo de consumir produtos de maior qualidade e procedência garantida. Aliás, é crescente a preocupação da população em adotar hábitos saudáveis e ter qualidade de vida, principalmente como forma de viver mais e melhor.

Com uma horta em casa, as pessoas têm a possibilidade melhorar a alimentação, recuperar a satisfação de produzir seus próprios alimentos, além de terem uma atividade física e de lazer. Aliás, vale destacar, a instalação e manutenção de hortas domésticas são democráticas, podendo abranger todos os membros da família e, assim, propiciar uma ocupação física saudável para todas as idades.

Os impactos da nossa alimentação sobre o planeta

Diminuir consumo de carne pode frear aquecimento global, aponta estudo

A importância das hortas não se dá apenas pelos benefícios em nível pessoal ou familiar, mas também em nível de humanidade, uma vez que nossos atos refletem sobre a sociedade como um todo. Nesse sentido, mudanças na alimentação têm sido apontadas como uma das medidas mais significativas para diminuir os impactos da ação humana sobre a Terra. Mas, você sabe por quê?

É que a criação de bovinos, em particular, é apontada como responsável pelo aumento dos gases-estufa na atmosfera, agravando o problema do aquecimento global. Além disso, a prática está relacionada à expansão agropastoril sobre florestas, uma vez que parte considerável dos grãos produzidos pelo homem vira ração e não alimento humano.

Por mais produtos de origem vegetal no prato

Você tem prestado atenção no que tem levado ao prato?

Visando à redução dos impactos sobre o meio ambiente, a recomendação trazida por diferentes estudos divulgados pela imprensa aponta na direção de privilegiar uma dieta baseada em produtos de origem vegetal. Exemplo disso é o estudo da revista médica The Lancet e da ONG Fundação EAT, que foi divulgado pela imprensa nacional neste mês e defende a divisão do consumo de carne por dois assim como a duplicação de frutas, legumes e oleaginosas  na alimentação.

De acordo com informações do site Correio Braziliense, que divulgou o estudo, os cientistas recomendaram consumir diariamente 300 gramas de verduras, 200 gramas de frutas, 200 gramas de cereais integrais (arroz, trigo, milho), 250 gramas de leite integral (ou equivalente) e apenas 14 gramas de carne vermelha, ou seja, dez vezes menos que um bife.

Para a obtenção de resultados satisfatórios ao planeta, entretanto, seria necessária uma mudança radicalmente nos hábitos alimentares da maioria da população. Assim, para fazer a sua parte, que tal começar justamente pela busca de uma maior presença dos vegetais à sua mesa? Monte sua horta e contribua para si e o planeta.

SAIBA MAIS: Como plantar hortaliças em casa

Comments

comments

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *