Como deve ser o solo para o cultivo de hortaliças

Pessoa com a mão em terra aparentemente propícia para o cultivo de hortaliças
Ao plantar é preciso prestar atenção nas características do solo

Ao pensar em ter uma horta em casa, o solo deve ser uma das principais questões para se observar. Afinal de contas, ele é a base da produção. Isso porque é no solo que as plantas se desenvolvem e dele que elas retiram o seu alimento, no caso, os nutrientes. Por isso, o solo é de fundamental importância e deve ser considerado desde o planejamento da horta e seguir com o seu correto manejo.

Considerado um sistema complexo, o solo é formado por três partes: a parte sólida, composta por argila, areia, silte e matéria orgânica; a parte líquida, composta por água, e a parte gasosa, composta por ar. Seu correto manejo é fundamental para que se mantenha produtivo, saudável e capaz de promover o crescimento e desenvolvimento das plantas, sem que se degrade.

Escolhendo o local

Quem decide implantar uma horta em casa nem sempre dispõe de muitas opções de local. Por isso, acaba tendo que se adaptar à área disponível. Contudo, dentro do possível, alguns pontos devem ser observados nessa escolha.

Por exemplo, o terreno deve ser plano e não reter água da chuva ou da irrigação. Além disso, deve receber iluminação solar e ventos moderados, além de possuir um solo que se caracterize como solto, profundo e rico em matéria orgânica.

Trabalhando com o solo

Terra sendo preparada para o cultivo  por meio de um ancinho
Solo solto é o mais adequado para o plantio

Um solo com as características citadas traz facilidade para o cultivo de hortaliças. Isso facilita não só o preparo da terra, mas também o plantio ou transplante de mudas assim como o próprio desenvolvimento das plantas. Então, evite construir sua horta em local de solo muito compactado e cascalhento, pois estes são fatores difíceis de contornar.

Para ajudar no plantio de algumas espécies, uma dica em relação ao manuseio com o solo também é o preparo de canteiros. Isso porque eles evitam o acúmulo excessivo de água, principalmente quando se faz o plantio em baixadas ou várzeas. Além disso, eles trazem facilidade aos trabalhos, sobretudo quando há necessidade de capinas.

Quando é necessário adubar?

Como já dito aqui, nem sempre é possível contar com um solo de fácil manuseio ou que disponha dos nutrientes necessários para as plantas completarem seu ciclo de vida. Entretanto, existe a possibilidade de trabalhá-lo para que ele fique em condições adequadas de cultivo.

Por meio da adubação é possível adicionar ou repor nutrientes ao solo, uma vez que eles são elementos químicos essenciais ao crescimento e desenvolvimento das plantas cultivadas. Mas, eis uma dúvida: como reconhecer que o solo carece de melhorias?

A resposta para a pergunta costuma estar nas próprias plantas. Ao observá-las é possível identificar se elas e, consequentemente, o solo possuem alguma deficiência nutricional. A imagem abaixo ajuda a identificar a ausência de determinados nutrientes.

Arte exemplificando sinais de deficiência nutritiva nas plantas
Por exemplo, folhas novas sem crescimento e retorcidas, bem como frutos deformados e manchados podem ser sinal da falta de cálcio

Para solucionar carências no solo e garantir que as plantas cresçam de forma saudável, uma opção são os adubos organominerais. Eles são adubos orgânicos enriquecidos com nutrientes minerais que ajudam a melhorar a fertilidade do solo e suas propriedades físicas.

Quer saber mais sobre os adubos organomineirais? Pois, a Plantei desenvolveu sua opção de adubo organomineral. Clique AQUI e conheça “o verdadeiro bom pra tudo”

Comments

comments

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *