Como plantar sementes

     Produzir mudas de plantas através de sementes é considerada uma tarefa simples. E de fato é. No entanto, exige alguns cuidados básicos.

     As mudas podem ser feitas em tubetes, bandejas, vasos, saquinhos para mudas, ou até mesmo em materiais recicláveis que costumamos ter em casa, como garrafas, rolinhos de papel higiênico, caixas de ovos, etc.

     Muita gente não faz ideia, mas o tamanho do recipiente influencia totalmente no porte da muda.

     Mudas de arbustos e árvores se desenvolvem melhor em embalagens maiores. Já as herbáceas, como flores anuais, hortaliças e temperos, crescem bem em recipientes menores.

     Recipientes de mudas como bandejas e sementeiras podem ser reutilizados, mas para isso saiba que é necessário realizar uma boa lavagem acompanhada de esterilização, para que possíveis doenças não sejam transmitidas entre os lotes de mudas.

     Existem também espécies que são muito sensíveis ao transplante, e por isso devem ser semeadas diretamente no local definitivo. É o caso das cenouras por exemplo.

     A escolha das sementes precisa ser cuidadosa e criteriosa. Elas devem possuir boa genética e serem livres de pragas e doenças. Isso irá garantir que germinem bem e continuem se desenvolvendo de forma eficaz.

     Sementes contaminadas são sinônimo de insucesso.

     Para a escolha das sementes é muito importante estabelecer como critério o local de origem das plantas e a estação do ano.

     Determinadas espécies podem precisar do frio para o desenvolvimento. Quando este é o caso, não é indicado o plantio no centro-oeste, norte e nordeste.

     Outras devem ser plantadas exclusivamente na primavera, evitando assim as outras três estações anuais.

     Muitas sementes de arbustos, árvores e plantas anuais possuem dormência. Isso faz com que o passar do tempo e das estações seja importante para a germinação.

     A dormência pode ser superada no caso de sementes duras de diversas árvores.

     Existem técnicas especiais de quebra de dormência, como:

• Imersão em água quente

• Ácido sulfúrico

• Escarificação mecânica

     Esses procedimentos garantem germinação rápida e de maneira uniforme, o que facilita muito o manejo das mudas.

     Por isso é importante sempre verificar se as sementes que adquiriu precisam de quebra de dormência, para que possa realizar os procedimentos corretamente e assim evitar possíveis frustrações.

Substrato para o plantio de sementes

     É muito importante saber que o substrato ideal para o plantio possui relação com o habitat da planta que você escolheu plantar. Consequentemente isso influenciará totalmente no desenvolvimento das plantas.
Plantas carnívoras por exemplo, apreciam esfagno ou turfas levemente ácidas.

     Já algumas espécies de orquídeas gostam mesmo é de casca de pinus.

     Cactáceas necessitam de substrato arenoso.

     Procure usar substrato esterilizado. Isso evitará que suas sementes entrem em contato com bactérias, fungos ou pragas.

     Confira uma receitinha bem simples de como preparar um ótimo substrato para plantio.

• 1/4 de terra comum de jardim
• 1/4 de areia ou vermiculita
• 2/4 de terra vegetal (composto orgânico)

     Esterilize o material colocando-o no sol até a secagem completa, revirando de vez em quando, perfazendo pelo menos 24 horas de solarização.

     Também é possível esterilizar o substrato colocando-o no forno por 30 minutos ou no microondas por 3 minutos para cada quilo de substrato.

     Não use fertilizantes com alto teor de nitrogênio nessa fase inicial. Os fertilizantes podem ser muito fortes para as raízes que ainda serão frágeis.

     Utilize fertilizantes ricos em fósforo e potássio, como NPK 0.20.20 ou 4.14.8. Eles garantem raízes fortes e vigorosas.

     Depois que o substrato estiver totalmente frio, adicione esses fertilizantes e coloque-o nos recipientes em que irá germinar (bandejas, tubetes, copinhos…).

Plantando as sementes

     Em cada um dos recipientes escolhidos para a germinação (tubetes, bandeja de muda, saquinho de muda) faça uma pequena cova e deposite de 2 a 5 sementes.

     A profundidade de cada semente deve ser calculada de acordo com seu tamanho e necessidade de luz para boa germinação.

     A regra é cobrir cada semente com substrato em uma camada com cerca de 2 a 3 vezes o seu tamanho. Ou seja, geralmente camadas finas.

     Existem sementes tão pequenas que nem precisam ser cobertas. Basta depositá-las na cova e pronto.

     Após colocar as sementes nas covas, irrigue com água da torneira. De preferência descansada, para evitar possíveis efeitos do cloro.

     As regas deverão ser feitas de maneira a manter o solo sempre úmido, mas nunca encharcado.

     A água é indispensável no processo de germinação das sementes. Sem ela, elas se desidratam e morrem.

     Para realizar a rega utilize sempre um regador de crivo muito fino, ou até mesmo um pulverizador.

     Conforme as sementes forem crescendo as regas poderão ser reduzidas gradativamente.

     Mantenha seus recipientes com sementes em local com bastante luz, porém sem sol direto.

     Você pode criar um pequeno viveirinho coberto com sombrite. Isso ajudará no crescimento das plantas durante o verão ou em locais quentes.

     Já no frio, o recomendado é criar uma pequena estufa coberta com lona transparente ou branca. Você pode também posicionar os recipientes em local que receba luz indireta, como uma janela. Deixe que recebam o sol da manhã ou do fim do dia, protegido de ventos fortes.

Transplante

     Quando as plantas estiverem com 2 a 3 pares de folhas será a hora de realizar o raleio. Retire com cuidado das sementeiras as mudinhas fracas ou doentes, deixando apenas uma muda por célula.

     As mudas saudáveis que forem retiradas durante o raleio poderão ser replantadas em novos recipientes.

     Quando as mudas estiverem com 10cm de altura (herbáceas e arbustos), ou 15 a 20 cm de altura (árvores), elas poderão ser plantadas em local definitivo ou em recipientes maiores, como vasos.

     Esse processo ocorre geralmente cerca de 30 a 45 dias após a germinação.

     O transplante é um passo muito delicado que deve ser realizado preferencialmente em dias nublados e úmidos. Caso não seja possível realizar o procedimento nessas condições, opte pelo final da tarde.

     Transplantar de saquinhos de mudas ou tubetes já é mais simples, porém exige igual cuidado.

     Plante as novas mudinhas em covas bem dimensionadas, fertilizadas com 150 gramas de esterco curtido e 30 gramas de NPK 04.14.08.

     Misture bem os fertilizantes e esterco com a terra. Posicione a muda no centro e preencha as laterais com terra adubada.

     Irrigue diariamente até perceber o bom desenvolvimento da muda.

     Algumas mudas como árvores e trepadeiras, podem necessitar de apoio na fase de transplante. Isso evitará tombamentos acidentais quando ainda não estiverem fortes e enraizadas.

     Gostou de aprender como realizar o plantio de sementes?

     Então agora é hora de colocar as mãos na terra e preparar muitas mudinhas por aí.

     Em nosso site você encontra tudo que precisa para começar a tarefa. Confira clicando aqui.

     Ah, mas não ache que o trabalho para por aqui, ok? Você precisará manter uma rotina de cuidados para que suas plantas continuem sempre se desenvolvendo de maneira segura e saudável.

     Bora fazer mudas?

Material de apoio – Jardineiro

Comments

comments

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *