Como plantar orquídeas em árvores

Sem comentarios

     O habitat natural da grande maioria das espécies de orquídeas são os troncos das árvores. Isso as caracteriza como plantas epífitas.

     Por isso, é muito comum transferir plantas de vasos comuns para árvores do jardim ou de calçadas.

     As árvores fornecem abrigo e suporte às orquídeas, e quando cultivadas nos troncos, recebem nutrientes que vem com o vento, chuvas e da matéria orgânica naturalmente decomposta.

     Além disso, esse ambiente úmido (devido ao fato do sol não atingir diretamente o tronco graças à copa da árvore) é perfeito para o crescimento da planta.

     Algo muito interessante é que se elas não gostarem do local, apresentarão mudanças de coloração nas folhas e não irão florescer. Além disso, apresentarão outros sinais de descontentamento.

     Já se gostarem, se desenvolverão muito bem, com ótima aparência e cheia de flores.

     Vale lembrar que diferente do que muitas pessoas acreditam, as orquídeas não são plantas parasitas.

     Ou seja, elas não consomem a seiva das árvores e por isso, não prejudicam seu desenvolvimento.

     A troca de ambiente da planta (do vaso para o tronco da árvore) deve ocorrer sempre após a floração, pois nesta fase ela inicia o processo de desenvolvimento das folhas, brotos e raízes.

     O que indica que um novo clico se inicia!

     Se a orquídea estiver florida, ela não deve ser trocada de lugar de forma alguma.

     Espere até que todas as flores estejam secas e caídas. Aí sim será o momento ideal para realizar a tarefa.

Dicas para plantar orquídeas na árvore

     Para plantar a orquídea no tronco da árvore escolhida é preciso saber que:

     • O espaço precisa ser claro, preferencialmente com luz indireta;

     • A árvore escolhida para recebê-la deve possuir preferencialmente casca rugosa, pois isso facilita a fixação e a retenção de nutrientes;

     • Escolhe árvores em que o tronco não descame com o passar do tempo, como ocorre com algumas espécies específicas, pois isso dificultará a fixação da orquídea;

     • Caso resolva utilizar o mesmo vaso em que ela já está plantada (desde que seja de plástico), faça um corte vertical da borda até o fundo do vaso. Isso facilitará para que possa prendê-lo junto ao tronco. As raízes da orquídea aos poucos irão migrando para apoiar-se no tronco;

     • É importante que ao fazer o corte no vaso o substrato original NÃO seja desmembrado;

     • Manter e acomodar o substrato junto ao tronco, fará com que a planta tenha umidade necessária e constante para a adaptação ao novo local;

     • Ao prender o vaso cortado ao meio no tronco, certifique-se que o material usado para amarrar (geralmente barbante ou gaze de curativo) está cercando apenas o vaso. Não deixe que tenha contato com as raízes, pois barbantes muito finos ou arames podem ferir ou cortar as raízes, dificultando assim o desenvolvimento.

Plantando orquídea em meia-calça

     Outra maneira legal de plantar é montar uma bola de meia-calça com musgo. Você corta um pedaço da meia-calça, coloca o musgo esfagno e faz uma espécie de bolinha. Em seguida deposita as raízes da orquídea nessa cama de plantio, deixando apenas as folhas para fora. Aí é só amarrar no tronco.

     Toda a raiz com substrato deve ser envolvida num tecido como gaze ou pela meia-calça. Sem apertar muito, mas mantendo firme o conteúdo.

     Virará uma espécie de embrulho. Isso garantirá que o substrato não espalhe.

     Esses dois tipos de tecido absorvem bem a água, mantém o substrato arejado e ainda facilitam que as raízes se desenvolvam através dos vãos. Assim poderão se enraizar no tronco.

     Com o passar do tempo o tecido se deteriorará, mas nesse ponto a orquídea já estará totalmente fixada no tronco.

     Isso geralmente ocorre por volta de 18 meses.

     Legal demais, né?

     Gostou de saber como cultivar orquídea diretamente no tronco?

     Então não deixe de conferir os outros conteúdos sobre orquídeas disponíveis aqui em nosso blog.

     Você os encontra clicando aqui.

Fonte / Material de apoio – O Jardineiro

Comments

comments

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *