Lendo agora
Doenças em árvores frutíferas cítricas: veja como evitá-las

Doenças em árvores frutíferas cítricas: veja como evitá-las

árvores frutíferas cítricas

O gênero Citrus pertence à família Rutaceae ordem Sapindales e os exemplos mais comuns de frutos são as laranjas (baía, pera, lima, da terra, hamlin, etc), os limões  (taiti, galego, rosa ou cravo, siciliano, etc) e as tangerinas (mexericas, ponkan, morgote, mimosa, etc). Há centenas de variedades, incluindo até plantas ornamentais. 

No Brasil, são muito utilizadas no cultivo doméstico, seja diretamente no solo, em pomares e quintais ou em vasos. Ao mesmo tempo em que são fáceis de cultivar, as frutíferas cítricas também são muito suscetíveis à pragas.

Para explicar mais sobre as doenças em árvores frutíferas mais comuns e como resolvê-las convidamos Daniel Barreto, biólogo da Plantei Garden Center. Confira a entrevista na íntegra! 

Frutos dos cítricos 

Os frutos dos cítricos têm como principal característica o gosto azedinho e bem ácido, que vêm da alta concentração de ácido ascórbico.

São sabores maravilhosos usados em sucos, saladas, pratos salgados e doces, além de serem ingredientes-chave para vários tipos de drinks.

Além de uma ótima fonte de vitamina, têm importância medicinal bem elevada, sendo usados para chás que auxiliam no combate a infecções. 

Ataques de formigas prejudicam hortaliças e frutíferas.

“Os cítricos, em geral, são de fácil cultivo em quase todo Brasil. Não exigem tanto conhecimento do cultivador e produzem rápido, devido sua propagação por enxertia. Porém, se tratando de praguinhas indesejadas, é um gênero bem atraente para muitas delas e acabam tirando a paz de qualquer louco das plantas”, afirma Daniel. 

O biólogo explica que os maiores responsáveis pelas doenças em árvores frutíferas cítricas são os pulgões, tripes, moscas negras, ácaros, lagartas dos frutos e cochonilhas e alerta para o impacto da ação, já que podem ser transferidas para outros cultivos que estão próximos. 

1 – Pulgão

O pulgão preto (Toxoptera Citricida) e pulgão verde (Aphis Spiraecola) são os principais causadores da Fumagina, fungo originado do excremento dos pulgões. 

Eles deixam as folhas com uma espécie de pó preto que cobre, principalmente, a parte de baixo e impedem uma boa fotossíntese. Além disso, causam deformação nas folhas e secam galhos de cima para baixo, resultando na má formação de fruto.

Além de prejudicarem o desenvolvimento vegetativo da planta, são transmissores do Vírus Tristeza dos citros, cuja importância no mundo é grande em se tratando de citricultura.

Os principais sintomas deste vírus são a paralisação do desenvolvimento da planta (nanismo), ranhuras nos ramos, amarelamento intenso das folhas, frutos pequenos e duros.

ferramentas de poda

2 – Tripes

Este inseto é um grande inimigo de quem cultiva os cítricos comercialmente!

A preferência dele é atacar novos brotos do vegetativo da planta e, em seguida, os frutinhos pequenos. Mesmo não causando alterações no sabor e tamanho das frutas no local onde pica, se forma um anel de coloração acinzentada na parte de cima dos frutos.

Essa ação deixa a aparência menos agradável para o cliente final que, na maioria das  vezes, não vai escolher este fruto picado se vendido in natura.

frutíferas em vaso
As frutíferas cultivadas em vasos exigem ainda mais cuidados do que as cultivadas diretamente no solo. Imagens: Plantei Garden Center.

3 – Mosca negra

A mosca negra, assim como o pulgão, causa fumagina nas folhas  – fungo de pó preto – devido a seus excrementos volumosos e bem açucarados, que também podem atrair formigas para a árvore. 

Uso de armadilhas amarelas na horta. Imagem: Plantei Garden Center.

“Vale lembrar que, no caso da mosca negra, trata-se de um dano secundário. O primeiro dano seria a picada e sucção de seiva, causando o depauperamento (enfraquecimento) da planta. Para resolver esse problema, utilize as armadilhas amarelas colantes, que são as inimigas número 1 dessa praguinha!”, explica Daniel Barreto. 

armadilhas para moscas

4 – Ácaros

Está aí a origem da maioria das manchinhas indesejadas em folhas e frutos de seu cítrico!

De um modo geral, ataques de ácaros são mais difíceis de serem detectados porque são quase invisíveis a olho nu, principalmente em fase inicial.

Daniel alerta: “essa turminha, na maioria das vezes, não ataca sozinha. Afinal, contam com centenas de espécies diferentes em sua classe, que é a dos Aracnídeos e o tamanho médio vai de 0,15 a 0,80 cm.”

  • Ácaros brancos

Os ácaros brancos são os mais comuns e prejudiciais aos cítricos. A saliva é tóxica e, por se alimentarem de brotos ou frutos novos, contaminam o cítrico deixando marcas totalmente visíveis a olho nu. Alguns exemplos: deformidade das folhas, bordas viradas para baixo, escurecimento e folhas enroladas ou enrugadas. 

Os sintomas são ainda mais fáceis de serem detectados observando os frutos. A carapaça cinza que, em alguns casos, cobre toda casca do limão rosa ou surge em partes de mexericas é um dos sintomas.

doenças em árvores frutíferas

  • Ácaro das gemas

Este ácaro é o responsável pelas super brotações de folhas e frutos deformados que acontecem repentinamente nos cítricos.

Atacam as gemas – os pontinhos nos galhos que dão origem a novas folhas ou frutos – necrosando o local afetado e induzindo o fenômeno citado. 

  • Ácaros tetracnídeos

São diferentes somente por pertencerem a outro gênero, mas, causam muitos males, tanto em produção para consumo próprio ou comerciais. 

Veja também

Há três tipos: ácaro purpúreo, ácaro mexicano e ácaro texano. O ácaro purpúreo é reconhecido por ser o autor de todos aqueles galhos de seus cítricos que secam de forma repentina em lugares aleatórios na planta. Em casos mais extremos, a planta inteira acaba secando. 

O ácaro texano é responsável por aqueles pontinhos amarelos pequenos que aparecem nas folhas dos cítricos, seguido de folhas mais opacas, necroses ou até mesmo de quedas.

O ácaro mexicano tem como sintomas as bordas das folhas se voltando para baixo, enquando na parte de cima surgem marcas descoloradas, seguida de necrose ou até mesmo queda.

“Utilize a água oxigenada e a bifentrina para resolver doenças em árvores frutíferas causadas por ácaros. Esses produtos são inimigos de primeira linhas se tratando de ácaros”, sugere o biólogo. 

5 – Cochonilhas

Quem nunca se deparou com pontinhos brancos andando nas folhas de seu cítrico no pomar ou no vaso

Essas são as pragas mais fáceis de serem detectadas por sua cor se destacar em meio ao verde e chamam a atenção de qualquer louco das plantas. Em alguns casos, ficam parados e têm coloração mais escura.

cochonilha - doenças em árvores frutíferas

As cochonilhas, de um modo geral, são maléficas ao vegetativo de seus cítricos e também para os frutos. “Entre elas vamos citar a Orthezia, escama farinha, parlatoria dos citrus e cochonilha pardinha. Todas podem provocar sintomas como definhamento das plantas, palidez nas folhas, galhos secos, manchas amareladas e folhas murchas, podendo levar a planta à morte em casos mais graves”, explica Daniel. 

Um fator bem cômodo para as cochonilhas é a constante umidade do ar relativamente alta, pouca ventilação e falta de sol direto. Se atente nesses pontos para não ter surpresas indesejadas em suas frutinhas.

Daniel Barreto destaca recomendações importantes para evitá-las: “não faça regas molhando as folhas de seus cítricos. Apesar da sensação de estar refrescando-as você estará condicionando um ambiente ideal para cochonilhas. Regue somente a terra.”

Cuidados com frutíferas 

Gostou de aprender sobre doenças em árvores frutíferas? Os cuidados diários impactam diretamente no crescimento das mudas, no desenvolvimento, na floração, colheita e até no sabor dos frutos!

Continue aprendendo aqui no blog da Plantei e tenha um pomar em casa mais saudável e produtivo. Confira: 

fertilizantes para frutíferas

Comments

comments

Comentários (0)

Deixe uma rsposta

Your email address will not be published.


© 2020 Blog da Plantei. Todos os Direitos Reservados.
Voltar para o topo